22 novembro 2009

Voto electrónico

Tenho frequentado alguma formação que me tem permitido reflectir sobre alguns assuntos que interessam ao PITI. Vou deixando ficar as questões mais interessantes.

Admissibilidade de voto electrónico, em substituição do voto presencial e escrito

Além de presencial e escrito, o voto em que se baseia o nosso sistema democrático deve ser universal, livre e secreto, além de pessoal. Acredito que a tecnologia se mostre capaz de assegurar as vertentes da universalidade e da liberdade do voto. Contudo, é com maior cepticismo que acredito que essa tecnologia poderá salvaguardar o secretismo e a pessoalidade do voto. O voto electrónico (não presencial) pode trazer vantagens, como por exemplo a possibilidade de se votar em qualquer local e o combate à abstenção. Mas, à partida, tais vantagens prendem-se com o eventual comodismo do eleitor. A democracia não é fácil de cumprir, mas não tem de ser. Acredito que o acto de votar exige alguma solenidade, o que afasta a generalização do voto electrónico não presencial. A possibilidade do voto electrónico presencial, ou o voto electrónico só para determinadas situações muito específicas, com medidas de controlo apertado, não me choca.

2 comentários:

PFilipe disse...

Olá Daniel,

Ora aí está uma das coisas que nunca apoiaria, o chamado voto electrónico.
Era ver as sedes dos partidos todas apetrechadas de computadores...
Já há mortes por causa das eleições (por exemplo nas últimas, morreu um no Ermelo) e o voto é secreto, imagina agora se fosse electrónico, era vê-los de arma apontada à cabeça - ou votas ou levas um tiro! Estou a brincar com a situação mas não concordo com o voto electrónico exactamente pela falta de liberdade que iria originar.
Se estiveres a falar numa espécie de terminais que garantissem a confidencialidade e a pessoalidade do voto, de forma a reduzir as toneladas de papel que se gasta em boletins e cadernos eleitorais, nisso concordo. Mas para além da forma como se poderá a vir votar, o que é importante é a forma como se faz política, é por aí que se combate a abstenção.

Abraço
Pedro Filipe

Daniel Torres Gonçalves disse...

Olá Pedro,

Estás a brincar mas olha que em certas situações não sei não... :)

Concordo com a possibilidade desses tais terminais - voto electrónico presencial, mas acho que a população em geral ainda desconfiaria muito dos computadores.

Quanto à forma de fazer política - aí está o grande problema sem solução à vista.

Abraço